Seca castiga pastagem e provoca morte de animais na zona rural de Palmas de Monte Alto; município está em situação de emergência

0
3

A falta de chuva tem provocado enormes prejuízos aos pequenos produtores rurais de Palmas de Monte Alto, no sudoeste baiano. A seca, que atinge a região há mais de seis meses, castiga as pastagens e plantações. Na última semana, a reportagem do Portal Vilson Nunes recebeu imagens da região do Baixio, onde mostra que vários animais estão morrendo de fome e sede, segundo os moradores.

Com mais de 22 mil habitantes, o município de Palmas de Monte Alto vive uma das piores secas da história. A agricultura e a pecuária são os setores mais prejudicados pela estiagem. Em algumas propriedades rurais, a fome tem sido a principal causa da mortalidade de animais, o que vem aumentando o desespero de pecuaristas.

Sem capim para pastagem, os pecuaristas tentam diminuir os prejuízos com ração. Alguns fazendeiros levam os animais que conseguem ganhar um pouco de peso para áreas alugadas de pastagens em outros municípios. Outra alternativa encontrada é a venda dos animais para outros produtores menos afetados. De acordo com os pecuaristas, mesmo com o baixo valor está é a alternativa para não ver os animais morrerem de fome. “Nessa seca que está tendo o gado está morrendo de sede, e a água só fica a lama. Então, o pequeno produtor fica sem condição de manter os bichos, e o jeito é vender”, lamentou Seu Antônio.

O secretário municipal de Agricultura de Palmas de Monte Alto, Miro Lima, afirmou à nossa reportagem que ano após ano os produtores tem a perda da safra e a situação se agrava a cada dia. “A dificuldade que o povo está enfrentando e o governo federal só dificultando mais, eu não sei como vai ficar esse país não, a situação é feia, você para conseguir um convênio com carro pipa para abastecer o município é preciso de 1001 documentação, a exigência e burocracia é demais“, disse. 

Previsão

E se depender da previsão, a expectativa é da estiagem permanecer por mais tempo. De acordo com o site da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), pelo menos até o fim deste mês, não há previsão de chuva para a cidade. CONFIRA:

Fonte: Portal Vilson Nunes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui