Foto - Reprodução

O secretário especial adjunto de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, explicou nesta quinta-feira dia 04 de abril, durante audiência pública com juristas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, os benefícios de se fazer ajustes na Previdência.

De acordo com o secretário, os brasileiros estão vivendo mais, mais pessoas estão entrando na inatividade, o que significa também menos contribuintes. Sem ajustes, caminharemos para o caos, alertou.

Durante sessão para apresentar os aspectos jurídicos e constitucionais da proposta da Nova Previdência (PEC 06/19), Bianco reforçou aos parlamentares e aos juristas que, se a proposta do governo não for aprovada, corre-se o risco de que os benefícios não sejam pagos, assim como ocorreu na Grécia e em Portugal.

Bruno Bianco disse que não vai ser criada a capitalização e sim, autorizar sua criação de maneira constitucional, uma vez que ela traz uma camada de solidariedade que afirma que nenhuma pessoa poderá ganhar menos que um salário mínimo de aposentadoria. Mesmo que a pessoa não tenha conseguido contribuir, ela terá garantido o salário mínimo, seja ela optante do regime antigo, seja do de capitalização, assegurou.

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Suzette Calderon

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui