Foto: Reprodução

Ludmilla Sena
Jornalista – SRTE 2544

“Estamos ansiosos pela retomadas das obras da Fiol. São mais de 10 anos lutando pela concretização desse sonho”, afirmou a deputada Ivana Bastos após receber o anúncio de que o Exército vai ajudar a concluir obras da Ferrovia Engenheiro Vasco Azevedo Neto (antiga Fiol).

A informação foi dada pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, durante uma visita técnica às obras em São Desidério (BA), na última segunda-feira (18/5). A previsão de conclusão das obras do trecho é 2022.
De acordo com Freitas, o Exército vai ajudar a concluir o lote 6 da ferrovia – trecho entre Bom Jesus da Lapa e São Desidério. O 4º Batalhão de Engenharia de Construção (4º BEC), de Barreiras, e o 2º Batalhão Ferroviário, de Araguari, serão responsáveis pela conclusão dos serviços. “A expectativa para conclusão da Fiol é muito grande, pois a ferrovia junto ao Porto Sul mudará o cenário de desenvolvimento do estado da Bahia”, explicou Ivana Bastos, que por muitos anos ficou à frente da Comissão Especial da Fiol e Porto Sul na Assembleia Legislativa da Bahia As obras são divididas em dois trechos.


A Fiol 1, que abrange o trecho lhéus (BA)/Caetité(BA), está com o seu projeto de concessão encaminhado ao Tribunal de Contas da União (TCU). A publicação do edital de leilão está previsto para o final de 2020.

A Fiol 2 tem 485,4 km de extensão, entre Caetité(BA) e Barreiras(BA). Executada pela Valec, estatal ferroviária, a obra recebeu investimento de R$ 2,7 bilhões com cerca de 39% executados

Escoamento da produção

O transporte de grãos e minérios do sudoeste da Bahia (Caetité e Tanhaçu) será uma das funções prioritárias da Fiol. A ferrovia também poderá se conectar, futuramente, à malha da Ferrovia Norte-Sul, o que traria melhoria para logística nacional.
Entre os benefícios esperados, estão a redução dos custos de transporte de grãos, álcool e minérios destinados aos mercados interno e externo; a ampliação da produção agroindustrial da região; e a interligação dos estados de Tocantins, Maranhão, Goiás e Bahia aos portos de Ilhéus (BA) e Itaqui (MA).

Assessoria de Comunicação Gab. deputada Ivana Bastos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui