Foto: Reprodução

Um homem de 37 anos, que se passava por policial civil, foi preso por estelionato e falsificação de documentos em Montes Claros, no Norte de Minas. Segundo as informações repassadas pela delegada Talita Caldeira, durante uma coletiva de impressa realizada nesta quarta-feira (15), ele chegou a usar os documentos do pai e de um irmão, já falecido, para retirar cheques, fazer compras e conseguir empréstimos. O prejuízo causado pelo investigado é superior a R$ 500 mil.

As investigações da Polícia Civil começaram em 2017 depois que o homem foi preso por estelionato, mas por se tratar de um crime sem violência e grave ameaça ele foi solto três dias depois. A delegada afirma que o homem aparece como envolvido em mais de 30 boletins de ocorrência e é investigado em 12 procedimentos, por isso, é considerado um dos estelionatários mais atuantes na região.

De acordo com a Polícia Civil, para efetivar as fraudes, o investigado usava cheques sem fundos, alguns furtados e roubados. Ao se passar por policial civil, ele prometia facilidades na obtenção de carteiras de habilitação, focando principalmente em moradores da zona rural. A delegada afirma que o homem abriu empresas em nome de terceiros e causou prejuízos a instituições financeiras e pessoas jurídicas. Ele foi levado para ao Presídio Regional de Montes Claros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui