A dona de casa Elisângela Rosa Camargo, de 25 anos, é considerada pela polícia de Jundiaí a principal suspeita de ter matado seus dois filhos com uma serra elétrica, na tarde desta terça-feira. O crime teria ocorrido por volta de 15 horas, na casa da família, à rua Dário Bochini, no Parque Almerinda Chaves, periferia de Jundiaí, a 60 quilômetros de São Paulo.

Ao chegar do trabalho no fim da tarde, o pai das crianças, Gilmar de Paula Oliveira, encontrou o filho de 6 anos degolado, no chão do quarto do casal. A filha de 1 ano e 7 meses estava sobre a cama, com um grande ferimento no pescoço. O assassino usou uma serra elétrica. A ferramenta suja de sangue foi encontrada ao lado da cama. A mãe das crianças não estava no local e até as 21 horas não havia sido localizada pela polícia. Depois de chamar os policiais e mostrar a cena do crime, Oliveira foi levado para a delegacia, onde desmaiou. O pai das crianças foi levado para o Hospital de Caridade São Vicente de Paulo. Segundo informações de funcionários do hospital, Oliveira chegou em estado de choque, mas foi medicado e liberado por volta das 21 horas.

Ele estava com familiares. Na casa da família, policiais encontraram apenas o título de eleitor da mãe. Os documentos das crianças não estavam no local. A polícia suspeita que a serra elétrica utilizada no crime seja de Oliveira, pois nos fundos da casa havia uma oficina com várias outras ferramentas. Até as 21h a Polícia Civil ainda não havia conseguido ouvir o depoimento do pai.

Segundo informações de vizinhos que não se identificaram, Elisângela teria ido buscar o filho de 6 anos na escola por volta de meio-dia. Durante a tarde, foram ouvidos som bastante alto e gritos das crianças. Os vizinhos disseram que nenhum morador foi até o local para saber o que ocorria. Familiares da mãe das crianças procurados por policiais na cidade vizinha Várzea Paulista disseram que Elisângela não tinha vícios, era uma pessoa normal e freqüentava a igreja Deus é Amor. A polícia informou que a mulher não tem antecedentes criminais. O delegado titular do 5º Distrito Policial de Jundiaí, Glauco Roberto Rufino, deve pedir amanhã (8) a prisão preventiva da suspeita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui