Imagem: Shutterstock

A saúde do intestino é tão importante e tem tanto impacto no nosso bem-estar que, muitas vezes, nos esquecemos que se algo não “anda bem” com o intestino, provavelmente muitas outras áreas do nosso corpo também não estão em sua perfeita saúde, já que ele tem grande influência sobre todo o organismo.

No intestino, bilhões de bactérias ajudam a digerir e absorver os alimentos e seus nutrientes, estimulam o sistema imune e, tendo a camada epitelial intestinal como aliada, formam uma barreira protetora para o organismo. Uma defesa natural que impede a entrada de micro-organismos causadores de doenças e substâncias que podem gerar alergias e intolerâncias alimentares.

Muitos fatores podem alterar a nossa flora intestinal, os principais são: alimentação, medicamentos, anti-inflamatórios e antibióticos, poluição ambiental e estresse. Tudo isso pode tornar a barreira intestinal permeável, o que definimos como disbiose. Essa síndrome do intestino permeável ativa o sistema imune, o que pode gerar alergias, autoimunidade e intolerâncias alimentares que resultarão em várias patologias. Essa situação acontece porque a junção das células intestinais fica prejudicada, facilitando a passagem para a corrente sanguínea de alérgenos, imunocomplexos ou micro-organismos.

A microbiota intestinal (flora intestinal) representa a população de microorganismos que habitam o nosso tubo digestivo, ela é composta por dezenas de trilhões de bactérias, incluindo pelo menos 1000 espécies diferentes com mais de 3 milhões de genes (150 vezes mais do que genes humanos). Esse “ser” dentro do nosso corpo chega a pesar por volta de 2kg. Um terço de nossa microbiota é comum à maioria das pessoas, enquanto que dois terços são específicos de cada indivíduo. Em outras palavras, a microbiota em seu intestino é como se fosse uma carteira de identidade.

O que pode interferir negativamente na microbiota?

  • Uso indiscriminado de antibióticos: Os antibióticos não discriminam entre bactérias boas e ruins, eles matam todas. É claro que eles são fundamentais, antes deles morria-se cedo de doenças que hoje são tratáveis, mas seu uso deve ser feito com muito critério e somente com prescrição médica.
  • Hábitos alimentares, especialmente com o consumo de alimentos ultraprocessados, desprovidos de fibras.
  • Má alimentação.
  • Bebida alcoólica.
  • Excesso de exercício físico (alto consumo de oxigênio).

Com a microbiota em desequilíbrio, algumas condições podem sofrer com influências agravantes, tais como:

  • Obesidade;
  • Diabetes tipo 2;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Doenças gastrointestinais;
  • Alguns tipos de câncer;
  • Doenças autoimunes;
  • Úlcera;
  • Alzheimer;
  • Depressão;

Sendo assim, cuidar da flora intestinal é uma dos principais formas de evitar diversos problemas, como a já citada disbiose que, quando ocorre, pode desenvolver problemas no corpo todo, como po exemplo:

  • Cérebro: depressão e ansiedade, déficit de atenção e hiperatividade;
  • Intestino: síndrome do intestino irritável, diarréia e constipação;
  • Sistema imune: gripes com frequência, artrite reumatoide, sensibilidade alimentar e asma;
  • Pele: acne, rosácea, eczema e psoríase.

Mas como identificar quando há algum problema com o nosso intestino? Alguns sinais que o corpo manda são:

  • Dor e distenção abdominal;
  • Gases;
  • Alergias ou intolerância alimentar;
  • Distúrbios de humor;
  • Constipação;
  • Insônia;
  • Dor de cabeça;
  • Acne;
  • Diarreia;
  • Aumento no consumo de carboidrato.

Portanto, um hábito que devemos, de uma vez por todas, eliminar é o de ignorar os sinais do corpo, se algo não está no lugar, o corpo vai encontrar uma forma de avisar, seja por uma dor de cabeça, um mal estar, e até mesmo através da qualidade da pele, unhas e cabelos, por exemplo.

Ressaltamos ainda que, diagnosticar um problema no início é sair na frente da doença, é não permitir que ela evolua e seguir o tratamento ideal, com maiores chances de cura.

Por fim, já falamos sobre todos os “prejuízos” que uma má saúde do intestino pode causar, mas não podemos deixar de citar os benefícios que alcançamos com um intestino saudável, veja a importância de manter a saúde do seu:

  • Reforça as defesas do sistema imune, prevenindo infecções.
  • Reduz os sintomas da depressão, já que 90% da serotonina é produzida no intestino.
  • Diminui episódios de candidíase e infecções urinárias, isso porque reduz a população de fungos e bactérias patogênicas.
  • Reduz cólicas do recém-nascido.
  • Diminui o peso corporal e níveis de colesterol.
  • Promove a melhora de doenças inflamatórias intestinais, como Doença de Chron e Síndrome do Intestino Irritável.
  • Reduz alergias e intolerâncias alimentares, já que diminui a permeabilidade do intestino.
  • Mantém o trânsito intestinal regular e a correta absorção de nutrientes.

A saúde do seu intestino está em dia? Agende uma consulta, nós te ajudamos a descobrir! institutodrromuloalves.com.br

Fonte: institutodrromuloalves.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui