Crime - Acusada de participação em crime que resultou em três carbonizados conta sua versão
Foto: Reprodução

Carina Ramos de Abreu, acusada de ter participado da morte de um casal e do filho carbonizados no ABC em janeiro do ano passado, falou sobre o crime ao Cidade Alerta, da Record TV. Ela é ex-namorada de Anaflavia Gonçalves, filha e irmã das vítimas.

Até o momento, as duas estão presas e vão a júri popular. Sete jurados vão decidir o destino de Carina, Anaflavia e outros dois presos, que são primos de Carina. Todos eles vão responder por triplo homicídio com três qualificadoras, roubo e ocultação de cadáver.

Em um texto compartilhado por Anaflavia, ela assume a participação em relação a morte do pai, Romuyiki, da mãe, Flaviana, e do irmão, Juan. Além disso, ela tira Carina da cena do crime.

De acordo com Carina, ela participou do planejamento do roubo à casa. “Não digo em momento algum que eu sou inocente nessa parte, eu não sou. Nunca disse que eu era. Tenho minha parcela de culpa e tenho noção da minha culpabilidade. Porém, não tenho culpa em alguns aspectos”, disse.

Segundo ela, Anaflavia foi a pessoa que idealizou o crime e quem sabia de tudo o que ia contecer dentro da casa. “Ela não é inocente, nem vítima, ela sabia o que iria acontecer desde o começo. Ela arquitetou. Ela planejou”, afirmou.

De acordo com ela, a ideia inicial era fazer o roubo sem ninguém em casa. “Estávamos na minha casa. O meu primo Jonathan chegou e aí ela [Anaflavia] falou assim: ‘Vamos fazer aquela fita? Não vai dar nada’. Porque, até então, o planejamento era pra eles entrarem dentro da casa dos pais dela, roubarem e saírem. E ela dizia que não daria 10 minutos. Seria tudo muito rápido, e que ninguém estaria na casa. Ninguém estaria presente”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui