Aumenta o numero de óbitos em Guanambi.

“Não tem vacina suficiente e muito menos a segunda dose da Coronavac.
Só vejo flexibilização dando falsa ilusão de normalidade.
Aglomeração nas praças, bares e academias lotadas, muita gente sem máscara e estabelecimentos descumprimento protocolo de higiene. Atendentes com máscaras no queixo ou simplesmente sem máscara. Enquanto ficarmos normalizando tudo isso, não vamos sair dessa pandemia e continuaremos nos lamentando pelas vidas perdidas.”

“😢 E tudo aberto… gostaria muito de saber que critérios sustentam essas liberações. Pq o número de casos permanece alto, a média móvel tb, os óbitos continuam e as UTIs estão cheias na região. Fica a dúvida! Que Deus tenha piedade de nós! 🙏😢”

Boletins da região:

Na Bahia:

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 4.029 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,4%) e 3.182 recuperados (+0,4%). O boletim epidemiológico desta sexta-feira (14) também registra 115 óbitos. Apesar de as mortes terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro foram realizados hoje. Dos 948.753 casos confirmados desde o início da pandemia, 911.392 já são considerados recuperados, 17.622 encontram-se ativos e 19.739 tiveram óbito confirmado.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.234.775 casos descartados e 209.556 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta sexta-feira. Na Bahia, 48.164 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 19.739, representando uma letalidade de 2,08%. Dentre os óbitos, 55,65% ocorreram no sexo masculino e 44,35% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,71% corresponderam a parda, seguidos por branca com 22,00%, preta com 15,41%, amarela com 0,44%, indígena com 0,12% e não há informação em 7,32% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 63,73%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,56%).

A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui