Corpo sendo trazido de helicóptero em Córrego do Feijão. Barragem de rejeito de minério se rompeu na tarde da sexta-feira, causando um acidente ambiental e vítimas na região de Brumadinho, MG, a 70 km de Belo Horizonte. A barragem pertence a mineradora Vale e os rejeitos atingiram diversos rios, principalmente o Rio Paraopeba. O acidente aconteceu três anos após a tragédia de Mariana, também em Minas Gerais. Foto: CADU ROLIM/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Uma barragem da mineradora Vale se rompeu e ao menos uma transbordou nesta sexta-feira (25) em Brumadinho, cidade da Grande Belo Horizonte, liberando cerca de 13 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro no rio Paraopeba, que passa pela região. A lama se estende por uma área de 3,6 km² e por 10 km.

Até a tarde deste sábado (2), 121 corpos haviam sido encontrados. Desses, 93 já foram identificados, segundo o Corpo de Bombeiros de Minas. Ainda há 226 desaparecidos, segundo a Defesa Civil de Minas Gerais.

A barragem 1, que se rompeu, é uma estrutura de porte médio para a contenção de rejeitos e estava desativada. Seu risco era avaliado como baixo, mas o dano potencial em caso de acidente era alto.

Pelos números 0800 285 7000 (Alô Ferrovia – prioritário) e 0800 821 5000 (Ouvidoria da Vale), a mineradora está recebendo informações sobre sobreviventes encontrados e desaparecidos, além de solicitações de apoio emergencial (abrigo, água, cesta básica, roupa, medicamento, transporte etc.). As autoridades, no entanto, pedem cautela nos contatos. Segundo o tenente Aihara, do Corpo de Bombeiros, ligações com informações falsas têm atrapalhado e atrasado o trabalho das equipes de buscas.

A Defesa Civil informou nesta quarta (30) que não precisa de novas doações para auxiliar as vítimas no momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui