1 – FAÇA UM “TEST DRIVE”
Mesmo sabendo da sua importância, ainda há aqueles que não fazem um test drive. Engana-se quem pensa que isso só serve apenas para os modelos de concessionária. É de extrema importância andar com o carro para realizar alguns testes, por exemplo: analisar o motor, os pedais (acelerador/freio/embreagem), dirigibilidade e o funcionamento em geral.

Especialistas também recomendam contar com um mecânico de confiança, assim, junto com você, ele poderá analisar o veículo em andamento, na prática, e atestar que o mesmo encontra-se em perfeitas condições.

2 – VOCÊ CONHECE O CARRO QUE ESTÁ COMPRANDO?
Ainda é comum adquirir um carro por meio de empolgação e é aí que mora o perigo. Comprar sem pensar pode gerar sérios problemas como gastos sem necessidade e arrependimento no futuro por não atender às suas necessidades.

Em razão disso, é indispensável conhecê-lo bem, pesquise em fóruns, revistas e sites especializados todas as informações e os seus prós e contras. Se notar alguns pontos que não te agrade, procure por outros modelos e quem sabe até os concorrentes.

3 – SE POSSÍVEL, COMPRE DE UM CONHECIDO
Quanto mais próximo você for de quem está vendendo, menos riscos terá. Isso vale se for um amigo próximo ou família, se houver algum problema futuro terá mais facilidade para contatar o antigo dono. Já com desconhecidos, caso não seja de confiança, a situação poderá ser bem diferente.

4 – PESQUISE PELO HISTÓRICO
Na empolgação de querer fechar um bom negócio o mais rápido possível, esquecemos de analisar alguns pontos importantes. Um deles, que em muitas vezes acaba passando batido, é averiguar o histórico do veículo que você pretende adquirir.

Descubra se ele já foi ou é roubado. Ao comprar um automóvel de pessoa física é imprescindível fazer uma vistoria para checar os documentos, número do chassi nas placas e nos vidros, pesquise no site do Detran sobre alguma pendência ou multa. Se ainda ficar dúvidas, busque por empresas especializadas em vistorias de veículos.

5 – PROCURE SABER SE ELE JÁ SE ENVOLVEU EM ACIDENTES
Acidentes graves, onde a estrutura do carro pode ser danificada, desvaloriza e muito na hora de revender. Mas, em muitas vezes não tem como “esconder” um defeito aqui ou ali para quem sabe comprar.

A primeira coisa a ser feita que já informamos anteriormente é conhecer o histórico, verifique a pintura e veja se encontra ondulações na lataria, se achar, pode ser um sinal de que ele já se envolveu em batida/acidentes.

Faça essa análise nas portas, capô, teto e parachoques. Identifique também se ele já passou por enchentes, para quem nunca sofreu com isso, é comum acabar não perguntando. A forma mais acessível de detectar é pelo odor. Após a limpeza, é provável encontrar principalmente em partes estreitas alguns vestígios como barro. Bancos e carpetes podem ajudar.

6 – ESTADO DE CONSERVAÇÃO
Por fim, faça uma averiguação geral sobre o estado de conservação daquele carro que você pretende comprar. Veja se o antigo dono era preocupado em cuidar dele em relação à manutenção, combustível de qualidade, óleo, limpeza interna e externa, além de pendências e multas. Não esqueça de procurar pelo manual do automóvel, assim ele pode te ajudar a conhecer o carro melhor.

Teste o motor não apenas pelo olhar, faça isso também na prática, ande com o veículo e preste atenção no som. O mesmo vale para os freios. Os pneus também são importantes, eles podem até indicar sobre o estado da suspensão e/ou alinhamento.

Só feche negócio após ter todas dúvidas tiradas. E não deixe a empolgação, o que é comum, te atrapalhar.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui