Quatro anos após um crime de estupro contra uma menina de 13 anos que tem sídrome de down, as autoridades policiais de Valença do Piauí, no estado do Piauí, chegaram finalmente ao culpado. O resultado de um exame de DNA era a prova que faltava para a condenação do esposo de uma tia da menina. A investigação aponta que o estupro aconteceu durante um período de férias em que a criança esteve na residência dos tios.

Por apresentar dificuldade na fala por conta da doença congênita, a menina não denunciou a violência. Somente me 2017 a mãe percebeu o ocorrido após a constatação da gravidez. À época, o tio chegou a ser apontado como suspeito, mas não havia provas materiais que sustentassem a acusação.

Após o nascimento da segunda criança do caso, fruto da violência sexual, o delegado pediu à Justiça a realização de um exame de DNA. O procedimento só foi realizado em 2019, dois anos após o pedido, quando ocorreu a inauguração do laboratório de DNA forense do Piauí. De acordo com o G1, o resultado do exame foi divulgado na última semana, confirmando o tio como autor do crime e a paternidade da criança.

O exame de DNA será agora levado à Justiça, que deve encaminhar a prova para o Ministério Público. Segundo o delegado do caso, o suspeito deve responder pelo crime de estupro de vulnerável.

Fonte:. Bahia Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui