Foto: Willian Silva Radar 030)

Por Willian Silva 106 FM.

Na manhã desta sexta-feira (22), cerca de 20 trabalhadores da Fundação José Silveira (FJS), empresa terceirizada do Hospital Regional de Guanambi (HRG) fizeram uma manifestação em frente ao HRG, exigindo o pagamento dos salários, que estão atrasados há mais de 60 dias. Em alguns casos, mais de 90 dias sem receber os pagamentos.

Os manifestantes alegam que a empresa não atende as suas ligações e não dão previsão de pagamento. Segundo eles, a FJS alega que está esperando os repasses por parte da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB). A Sesab por sua vez alega que os repasses já foram feitos.

Os funcionários do FJS dizem que já estão passando por necessidades. Um deles conta que a situação só não está pior porque tem contado com ajuda de amigos e familiares.

Em contato com a direção do HRG, a diretoria informou a Rádio 106FM que a FJS já foi notificada duas vezes por conta dos atrasos nos salários. Uma cópia da notificação foi enviada à nossa redação, informando que “os atrasos dos salários dos servidores ferem cláusulas contratuais”. Em alguns casos, segundo o texto de um outro ofício, funcionários estariam deixando os postos de trabalho vagos, o que já vem acontecendo reiteradamente. Em ambos os casos, a direção do HRG deu o prazo de cinco dias para a resolução das situações.

A redação da Rádio 106FM entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da FJS. Por telefone, a referida assessoria disse que não retém repasses. Segundo o órgão, assim que o dinheiro é depositado na conta da fundação, os salários são pagos imediatamente. Ainda de acordo com a assessora, a FJS tem cobrado do Governo do Estado que responde que os atrasos estão de acordo com o contrato. Ainda, a FJS disse que iria averiguar a situação dos funcionários em Guanambi e emitiria um comunicado. (Radar 030)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui