Você vai conhecer agora a história do guanambiense, Haryston Wesckley costa Guimarães (biriguí) que no mês de agosto completa 38 anos, 1,70 de altura e 61 quilos. Mas nem sempre foi assim, há três anos ele chegou a pesar 115 kg. Perguntado o que o levou a tomar uma decisão radical ele respondeu “eu ainda não estava doente, sempre fui um atleta, porém um dia olhei no espelho e me assustei e disse a minha esposa hoje vou começar uma dieta, não vou esperar para segunda-feira não”.

Ele conta que a casa estava cheia de comida, o freezer com picanha, bolo no pote, só de refrigerante tinha 15 fardos de 350ml. O que ele fez? Deu tudo e começou a comer salada e frango grelhado no almoço e na janta. No café da manhã suco de couve com gengibre e limão e caminhada de 6 km de domingo a domingo.

O resultado de tanto esforço foi 12 quilos a menos no primeiro mês. Aí logo começaram as críticas “você vai adoecer, vai pegar uma anemia profunda e  vai morrer”, mas ele não desistiu e se manteve firme no seu propósito. Dez meses depois, em setembro de 2018, ele já havia perdido 54 quilos.

Corrida

Da caminhada de seis km no início, sete meses depois, Haryston Wesckley (biriguí) começou a correr e não parou mais. Um ano depois já não era mais uma corrida leve, era em ritmo forte e indo cada vez mais longe e superando seus próprios recordes.

A paixão pela corrida aumenta a cada minuto, a cada hora, a cada dia, somente no ano passado ele correu 4.447 km, uma média de 373 km por mês.

Para 2020 a meta é ultrapassar a casa dos 6 mil quilômetros ou mais, uma vez que já percorreu até o dia 26 de junho 3.431 km registrado pelo aplicativo strava.

Seu maior desafio foi correr de Guanambi a Caetité percorrendo 42,6 km em 3:14h com altimetria de 976, mas está se preparando para um novo, chegar a 70km.

Futuro

Haryston Wesckley diz que corre por prazer e gosta de superar seus próprios desafios, apesar de vir recebendo incentivos para se tornar um maratonista profissional devido a sua performance que impressiona.

Recentemente ele foi incentivado a se mudar para o Rio de Janeiro, onde novas portas poderiam se abrir para transforma-lo num atleta profissional, já que por aqui é muito difícil encontrar patrocínio para um atleta que já é campeão de superação, determinação, foco e fé.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui