Movimento do Luto à Luta se reune com Defensora Pública de Guanambi e dialogam sobre a implantação do NEAM, da DEAM, nomeação do juiz titular da Vara Crime
Foto: Edição: Neide Lu (MTBE 6466), Portal Fala Você Notícias

O Movimento do Luto à Luta de Guanambi, nesta terça-feira, 15, às 16h, se reuniu com a Defensora Pública, Dra. Deliene Martins de Carvalho, buscando apoio para a instalação da Delegacia Especializada da Mulher (DEAM) e discutindo as melhorias que podem ser efetivadas na rede de proteção à mulher de Guanambi.

Dra. Deliene Martins de Carvalho, sinalizou a contribuição da defensoria em emitir o número de casos de violência contra à mulher para a construção do mapa da violência de Guanambi para o Observatório da UniFG, também a necessidade do ‘Movimento’ em cobrar dos representantes políticos estaduais a nomeação de um juiz titular para a vara crime. Houve a discursão com todas, sobre a necessidade da instalação de uma vara especializada da juventude e uma vara especializada de combate à violência contra à mulher.

A defensora disse “que é preciso de imediato estabelecer um NEAM (Núcleo Especializado de Atendimento à Mulher) dentro da Delegacia de Guanambi enquanto aguarda a instalação da DEAM (Delegacia Especializada da Mulher)”.

Ocorreu também o entendimento junto a defensora em ampliar a Ronda Maria da Penha, devido o grande número de assistidas, e quando sempre há solicitação para o atendimento das Marias, existe muita demora. 

Por último, foi reforçado por todas as participantes da reunião, a importância de uma resposta da justiça de Guanambi para a sociedade do crime contra Alcione Malheiros e Ana Júlia Malheiros, homicídio duplo ocorrido em 12 de dezembro de 2021, crime que chocou a cidade e provocou mudanças de rotinas das mulheres do municípo.

O Movimento do Luto à Luta estava representado por familiares das vítimas do homicídio duplo, Késia Malheiros e Elineide Malheiros, pela procuradora da Mulher da Câmara de Vereadores de Guanambi, vereadora Míria Paes, a vice-presidente da Câmara de Vereadores, vereadora Maria Silvia Lilia, a presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, Edésia Lisboa,  representantes religiosas da Igreja Batista Sião, Pastoras Norma Angélica e Iracema Barbosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui