Reprodução / DW

A Universidade de Oxford, no Reino Unido, afirmou nesta quarta-feira (23/06) que lançou um novo estudo sobre os efeitos do medicamento antiparasitário ivermectina contra a covid-19 no âmbito de um estudo com o objetivo de ajudar pacientes a se recuperar da doença em ambientes não hospitalares. Os pesquisadores também querem determinar possíveis danos causados pelo medicamento.

Batizado de Principle (Princípio), o estudo apoiado pelo governo britânico já mostrou que os antibióticos azitromicina e doxiciclina eram, em geral, ineficazes num estágio inicial da covid-19.

“Ao incluir a ivermectina num estudo de larga escala como o Principle, esperamos gerar evidências robustas para determinar quão eficaz é o tratamento contra a covid-19 e se há benefícios ou malefícios associados ao seu uso”, afirmou o pesquisador Chris Butler, colíder do estudo.

Sem eficácia comprovada contra a covid-19 até o momento, o uso da ivermectina segue não sendo recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e autoridades reguladores da União Europeia e dos Estados Unidos. Ainda assim, o tratamento com o medicamento vem sendo promovido em alguns países, entre eles o Brasil, Índia e a África do Sul.

Estudos realizados até agora com a ivermectina como possível tratamento contra a covid-19 são considerados pequenos ou de baixa qualidade.

Fonte: DW

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui