Dj. Ivis
DJ Ivis é um dos expoentes do gênero conhecido como pisadinha, uma vertente mais eletrônica do forró @djivis Instgram / Reprodução

Gravações em que o produtor musical agride a ex-esposa na frente da filha de nove meses geraram revolta nas redes sociais nos últimos dias

Vídeos que mostram Iverson de Souza Araújo, mais conhecido como DJ Ivis, agredindo a ex-esposa, a arquiteta e influenciadora digital Pamella Holanda, na frente da filha de nove meses e de outras duas pessoas circularam pelas redes sociais nos últimos dias. As gravações foram compartilhadas por Pamella em seu perfil do Instagram no domingo (11) e, desde então, o caso vem gerando revolta e dúvidas nas redes sociais. 

Nas imagens divulgadas, gravadas por câmeras de segurança internas da residência onde o casal morava, o DJ aparece dando puxões de cabelo, chutes e socos em Pamella. Ele chega a subir no sofá para atingi-la, na presença de um outro homem. Outro trecho mostra agressões sendo feitas na frente da bebê e da mãe da arquiteta, que ajudava a cuidar da pequena.

A violência contra Pamella ocorreu em, pelo menos, dois períodos diferentes. A mais recente foi no dia 1º de julho. Por conta desta, a arquiteta registrou ocorrência de lesão corporal no âmbito da violência doméstica no dia 3 de julho em Eusébio, município da região metropolitana de Fortaleza. 

De acordo com informações do portal G1, os vídeos divulgados neste domingo são anteriores às agressões de julho, conforme informou a advogada de Pamella. Ainda não há confirmação sobre quando exatamente elas ocorreram. No dia 4 de julho, a Justiça determinou medidas protetivas em favor da arquiteta.

Afinal, por que Ivis não foi preso?

Um inquérito policial para apurar as agressões foi instaurado, segundo a Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSPDS). No entanto, não foi possível prender Ivis em flagrante porque as agressões ocorreram no dia 1º de julho, enquanto as denúncias foram feitas no dia 3. A detenção por flagrante delito ocorre em até 24 horas de um crime efetivado.

Nesta segunda-feira (12), Pamella prestou depoimento para dar continuidade às investigações sobre o caso de agressão corporal. Além da arquiteta e influenciadora, também foram ouvidas pela Polícia Civil do Ceará outras duas testemunhas, que não tiveram suas identidades reveladas. A polícia informou que o caso segue em apuração e que ainda não tinha sido apresentada às filmagens das agressões divulgadas no domingo. 

As investigações estão sendo feitas pela Delegacia Metropolitana de Eusébio, na Grande Fortaleza, e contam com o apoio do Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV) da PC-CE, informou a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado.

FONTE: GZH

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui