Fonte: UOL

A afirmação foi feita em entrevista coletiva à imprensa no Palácio do Planalto, ao ser perguntado sobre a possibilidade de demissão do chefe da Saúde. Presente à entrevista, Mandetta disse considerar “normais” os momentos de tensão, devido ao tamanho do desafio no enfrentamento ao novo vírus. “Todos nós estamos tentando fazer o melhor pelo povo brasileiro, e o presidente [Bolsonaro] também”, disse.

“Os processos em andamento, as tensões, são normais pelo tamanho desta crise”, afirmou o ministro. Na entrevista, Mandetta afirmou que a orientação da pasta da Saúde “continua técnica, continua científica e continua trabalhando dentro do seu planejamento”, disse o ministro.

Distanciamento social

O ministro voltou a defender que a posição atual do Ministério da Saúde é para que sejam aplicadas medidas de distanciamento social como forma de tornar mais lenta a transmissão do vírus. “No momento a gente deve manter o máximo grau de distanciamento social para que a gente possa, nas regras que estão nos estados, dar tempo para que o sistema [de saúde] se consolide na sua expansão. Nós estamos aumentando o sistema, estão chegando equipamentos”, disse Mandetta.

O cerimonial do Palácio do Planalto encerrou a entrevista e não permitiu que o ministro respondesse a uma última pergunta dos jornalistas, sobre a avaliação do ministro em relação à ida de Bolsonaro no domingo a diversas regiões do Distrito Federal.

“O presidente saiu ontem às ruas, isso pode?”, perguntou o jornalista. Antes que o ministro pudesse responder, uma assessora do Planalto responsável por conduzir a coletiva afirmou ao microfone: “Em função do adiantamento da hora, a presente coletiva está encerrada”, disse.

FONTE: Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui