https://maisnoticias.net.br/
https://maisnoticias.net.br/

OUÇA PODCAST

Dizer que temos no Brasil uma sociedade machista é chover no molhado. Acredito que seja produto da sociedade patriarcal do passado, quando somente o homem era provedor econômico na família e à mulher cabia “apenas” cumprir as tarefas de dona de casa.⠀

O “apenas” tem o propósito da ironia, já que as tarefas domésticas, bem diferente da jornada de trabalho de 8 horas com descanso semanal, vigoram todas horas do dia e todos dias da semana, inclusive sem feriados.⠀

Os tempos mudaram, a mulher foi à luta e conquistou seu espaço profissional fora de casa. Hoje luta ombro a ombro com o homem e, muitas vezes, neste embate tem larga vantagem.⠀
⠀⠀
Mas o machismo ainda vigora na sociedade e tem um lado bem sombrio, quando se manifesta através da violência sexual.⠀
O homem faz uso da força física superior para extravasar seus instintos na mulher e esta violência causa danos que a acompanharão por toda vida, mesmo que passe por acompanhamento psicológico.⠀⠀

Felizmente temos uma lei que permite a interrupção gestacional, evitando que a mulher seja obrigada a gerar um bebê que foi concebido a contragosto e de forma brutal. Mas mesmo com este fundamental amparo jurídico, as marcas sofridas daquela violência refletem os traços de uma sociedade com inúmeras desigualdades, inúmeras contradições.⠀
⠀⠀
Por exemplo, muitas vezes o abuso sexual é acometido em meninas na sua mais tenra idade, mas já capazes de darem prosseguimento à uma gravidez. ⠀

Estas, por medo de uma reação violenta por parte dos pais ou responsáveis, acabam fazendo uso de agulhas de tricô ou outros artefatos para abortarem, iniciativa que comumente gera hemorragia que poderá levá-las ao óbito.⠀

Infelizmente este cenário é comum nos quatro cantos do país, produzindo uma violência complementar talvez até mais cruel do que a sofrida inicialmente.⠀
ROSEMEIRE COULIBALY

Fonte: https://www.instagram.com/p/CFNqlMkBFfz/

2 COMENTÁRIOS

  1. Sobre o TEMA e a REPORTAGEM – ENTREVISTA contra a VIOLÊNCIA SEXUAL com a Dra. Rose Coulibaly …

    Foi de suma-importância para a nossa SOCIEDADE BRASILEIRA e pra quem puder assistir e ouvir uma explanação digna de conhecimento e objetividade, bem como de 《”uma dura subjetividade”》 … por parte de quem sofre o ABUSO SEXUAL.
    Um TEMA necessário a ser discutido e informado nos trâmites legais da LEI JUDICIAL, bem como, a ser discutido e informado sobre a VIOLÊNCIA contra o DIREITO de ESCOLHA da VIDA – na decorrência NATURAL no decurso de VIDA de cada SER.
    Essa ENTREVISTA extrapolou conhecimentos que abordaram brilhantemente os FATOS em questão, enquanto se ouve, a uma repulsa e desconforto pelos ATOS inseridos nessa mensagem de ALERTA ⚠️⚠️⚠️ pela necessidade da VIDA em Sì … num discorrer que enoja ao ouvirmos a veracidade dos FATOS de uma insanidade de quem o pratica – de forma literalmente ilícita e que repugna-nos o ATO em Sì.
    Vamos ouvindo a Dra. Rose Coulibaly e é como estivéssemos assistindo diante de nós o ATO SEXUAL e descomedido, que faz-nos querer defender a própria vítima lesada e sem o DIREITO de expressar as SUAS IDÉIAS e escolhas, bem como o DIREITO de seguir um rumo legal que a NATUREZA. Seria NATURAL de seguir o curso – no decurso de SUA VIDA.
    Parabéns e muito obrigada pelo TEMA abordado, tanto QUANTO, da forma como fora abordado na íntegra de quem 《Dra. Rose》tem consciência e aprofundamento no assunto em questão.
    GRATIDÃO e que possa muitos ouvirem e serem freadas em MENTES DOENTIAS – nesse ATO tão brutal e…
    ➡️ inaceitável
    ➡️ inconcebível
    ➡️ inapropriado
    ➡️ insuportável
    ➡️ injurioso
    ➡️ iniqúo
    ➡️ injusto
    ➡️ “inopinado”
    ➡️ intempestivo
    ➡️ inigualável
    ➡️ infiel/pérfido
    ➡️ inibidor/desumano/cruel
    ➡️ insultado ao DIREITO de uma VIDA no curso – do decurso NATURAL da própria VIDA em Si.

    Estamos vulneráveis à maldade HUMANA, onde o desalmado desdém da própria vítima … fazendo uso do Seu CORPO – para suprir uma necessidade insana e cruel … a destruir e corroer a ALMA e ESPÍRITO do Seu próprio SEMELHANTE.

    Sônia Vilarinho e FILHOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui